Eis que o primeiro CD de Spencer Chamberlain pós-UnderOath é lançado. Após grande expectiva tivemos a felicidade de ouvir esse novo e belo trabalho dele, agora mais calmo e com outra pegada. As primeiras duas músicas divulgadas já traziam essa mudança de ares, e agora que temos acesso ao álbum completo atestamos isso.
 
Nas faixas The Wolf e Through the Looking Glass pudemos ter uma imagem do que seria desenvolvido nessa nossa fase do ex-berrador. Músicas com maior vibração e quase sem peso, utilizando-se apenas de distorções e elementos mais comuns, como um Anberlin reinventado.  É engraçado porque em certos momentos a novidade destoa completamente do que Chamberlain fazia antigamente. Ouvir a introdução de The Wolf me remete diretamente a The Almost e sua pegada alternativa. Quase me esqueço de que Spencer já foi um dos vocais rasgados mais conhecidos da cena em anos anteriores.
 
Falando das outras faixas do novo CD, é interessante destacar o trabalho eletrónico feito em faixas como Rock and Roll is Dead And So Am I, que possui muitas batidas inerentes ao rock tradicional. Isso, no entanto, forma uma boa identidade, mesmo que às vezes não se encaixe tão bem com o vocal.
 
Em geral, esse disco traz algo novo para nossos ouvidos. Uma nova opção frente ao crescente mercado de rock alternativo (basta ver as notícias de nosso site). Nem tudo são flores, já que algumas músicas nos fazem sentir saudade de UnderOath, principalmente naquelas de maior variação vocal de Chamberlain. Mas o peso da novidade nos faz ter esperanças de outra grande banda despontando no mundo da música novamente.
 

Essa resenha foi bem escrita: Sim Não